Electronic Data Interchange - EDI

Como podem cumprir os TIER com as práticas MMOG/LE

MMOG/LE

Em uma indústria como a automobilística, marcada pelo just-in-time, a eficiência e o controle da cadeia de fornecimento se converte em um objetivo prioritário. Por conta disso, cada vez mais marcas exigem de seus fornecedores o cumprimento das práticas MMOG/LE (Materials Management Operations Guidelines/Logistics Evaluation). Entretanto, no Brasil, muitos TIER não sabem ainda como atenderem a essa demanda de seus clientes.

O que é o MMOG/LE?

MMOG/LE é um conjunto de boas práticas definido pela ODETTE e AIAG, os dois organismos normativos mais importantes do setor de automação, que tem como objetivo melhorar o rendimento dos processos de fabricação, compra e logística para reduzir custos econômicos.

Se trata de uma ferramenta de autoavaliação que permite aos TIER conhecerem suas debilidades e melhorá-las. No total, audita 206 critérios logísticos relacionados com a organização do trabalho, a interface com o fornecedor e o cliente, a capacidade de produção e outras áreas.

Segundo a pontuação obtida nessas práticas, o TIER se classifica como nível A (quando está próximo da classe mundial), nível B (se é deficiente em 2 ou mais critérios), ou nível C (quando é deficiente em 1 ou mais aspectos críticos de alto impacto.

Renault, Ford, Peugeot e Volvo são algumas das grandes marcas da automação que já exigem de seus fornecedores do Brasil o cumprimento das práticas MMOG/LE para garantir tempos de produção curtos e entregas mais precisas.

As soluções para cumprir com o MMOG/LE

Superar com êxito as avaliações MMOG/LE requer uma comunicaç4ao fluída entre os partners e um intercâmbio de grandes volumes de dados em tempo real (desde ficheiros CAD até mensagens comerciais). Nesse sentido, o EDI se apresenta como uma solução imprescindível para as empresas do setor. Não é casualidade que esta tecnologia tenha nascido ligada à indústria automobilística já nos anos 70.

Hoje em dia, a comunicação entre as grandes marcas e seus TIER 1 se realizam em sua maioria de forma eletrônica através do EDI. Não obstante, no caso de fornecedores de nível inferior, que também devem cumprir com as práticas MMOG/LE, esta ferramenta não está tão difundida no Brasil.

A médio prazo, o objetivo é que o EDI acabe se massificando entre todos os partners da cadeia de fornecimento, independentemente de seu tamanho. De fato, a versão mais recente dessa auditoria, conhecida como Global MMOG/Lev4, já planteia ampliar o intercâmbio eletrônico de dados aos fornecedores menores.

Ainda assim, para o momento, os fabricantes que exigem de seus fornecedores sem EDI a avaliação MMOG/LE podem recorrer a estas soluções que otimiza a comunicação logística:

  • Business@Mail: É uma plataforma desenhada pela EDICOM que se integra com a solução EDI do fabricante. Cada vez que esse cria um documento (notas fiscais, ordens, PDF, etc.) dirigido a um fornecedor sem EDI, se publica automaticamente em um portal web seguro.

O TIER recebe um aviso e pode acessar a informação no BUSSINES@MAIL mediante um usuário e senha. Dessa forma, se garante a confidencialidade dos dados, o fabricante tem a rastreabilidade do processo e não é necessário duplicar o trabalho recorrendo a outros métodos paralelos com o e-mail. Isso faz a comunicação ser mais eficiente para ambos.

  • Partner Web Portal: O envio da informação por parte dos fornecedores sem EDI chega por diferentes meios: E-mail, faz, papel... Isso impede os fabricantes de automatizar a integração das mensagens com o ERP e exige um maior tempo de gestão.

Partner Web Portal é uma solução a qual podem se conectar de forma segura os TIER sem EDI, para enviar as programações de entrega, os avisos de expedição ou outras transações básicas. A plataforma atua como uma solução EDI que integra automaticamente essas mensagens no ERP do fabricante.

As vantagens do MMOG/LE

Aindque que a implementação das práticas MMOG/LE requeira uma inversão inicial por parte de fabricantes e fornecedores, está comprovado que também traz importantes melhoras logísticas. De fato, a otimização se incrementa anualmente, incluso depois de mais de 3 anos.

Entre as principais vantagens, destacam-se a redução do stock, a redução de custos econômicos e uma maior precisão na entrega de mercadorias.

Saiba mais sobre os possíveis benefícios para a sua empresa.

Entre em contato com um representante da EDICOM

Pode também estar interessado em ler sobre...

Como automatizar as faturas de fornecedores

Descubra como reduzir drasticamente o tempo e os custos com o gerenciamento das faturas de fornecedores.

CSC – Inovações e mudanças tecnológicas para atender as necessidades de empresas globais

Um Centro de Serviços Compartilhados poderá utilizar uma plataforma EDI para se comunicar com os diferentes departamentos

Novas mensagens EDI para se ter em conta na Supply Chain

Otimize sua supply chain através das mensagens EDI definidas na Bussines Requeriments Specification (BRS).