Faturamento eletrônico

O SAT prorroga a utilização do CFDI 4.0 Recibo de Vencimento

CFDI-Nomina

O Serviço de Administração Fiscal (SAT) adiou até 30 de Junho de 2023 a utilização do Comprovante Fiscal Digital por Internet (CFDI) do recibo de vencimento na sua versão 4.0. Até essa data, a versão 3.3 pode continuar a ser utilizada.

O SAT adiou a entrada do CFDI Recibo de Vencimento 4.0, que estava prevista para 1º de janeiro de 2023, até 1º de Julho de 2023. As razões desta prorrogação é que os contribuintes obrigados a emitir este tipo de faturas eletrônicas “possam ter todos os requisitos previstos nas disposições fiscais para a emissão do CDFI na sua versão 4.0”, conforme explica o SAT em um comunicado.

Concretamente, na recente reforma fiscal de 2022, os seguintes campos foram incluídos como dados obrigatórios para o destinatário do CFDI: Registro Federal de Contribuintes (RFC), nome, razão ou denominação social, código postal do domicílio fiscal e utilização. Estes ajustes que requerem maior detalhe nos dados comunicados ao SAT destinam-se a travar o faturamento falso utilizado para evasão fiscal.

Com a reforma fiscal, a versão 4.0 do CFDI entrou em vigor a 1º de janeiro de 2022. A reforma prevê uma atualização da fatura eletrônica com um período de coexistência com a versão 3.3 até 31 de março de 2023. Esta data mantém-se apenas com a exceção do CFDI Recibo de Vencimento 3.3, que prolonga a sua vigência até 30 de Junho de 2023. 

Alterações na nova versão CFDI 4.0

As principais alterações na versão CFDI Recibo de Vencimento 4.0 são:

A forma de expressão do formato da data é homologada de acordo com o Anexo 20 dos atributos DataPagamento, DataInicialPagamento, DataFinalPagamento e DataInícioRelLaboral.

  • As validações da versão e forma de pagamento são eliminadas.
  • As validações para a emissão do complemento com a versão 4.0 do CFDI são incorporadas, como RegimeFiscalDestinatário, ObjetoImp, ParaContaTerceiros, InformaçãoAduaneira, ContaPredial, ComplementoRubrica, Relatório.
  • Do mesmo modo, como parte da integração com o CFDI versão 4.0, incorporam-se como requisitos obrigatórios para a emissão do comprovante de recibo de vencimento o RFC, nome, regime fiscal e código postal do domicílio fiscal do destinatário.
     

Por que é importante implementar as alterações necessárias na reforma fiscal dos CFDI Recibo de Vencimento?

Se os dados fiscais dos trabalhadores não coincidirem com as informações do SAT, os recibos não podem ser carimbados nem ser dedutíveis. 

Um Certificado Fiscal Digital por Internet de Recibo de Vencimento é um tipo de fatura eletrônica que reflete o montante pago por uma empresa ao seu empregado por um serviço prestado durante determinado período. Este documento digital tem de ser carimbado por um PAC autorizado para ter valor fiscal e poder ser apresentado ao SAT.

Se não se cumprir os novos requisitos técnicos e administrativos estabelecidos pelo SAT para o CFDI Recibo de Vencimento, este não poderá ser validado.

A confiança de ter um PAC autorizado

A EDICOM é um fornecedor tecnológico especializado em EDI e faturamento eletrônico e, no México, a EDICOM é o PAC número 1, sendo o primeiro Fornecedor de Certificação autorizado pelo SAT para carimbar o CFDI. 

A EDICOM adapta-se imediatamente às novidades do SAT, para que os clientes possam continuar a trabalhar como habitualmente, com a certeza de que o seu PAC está a fazer as alterações necessárias para cumprir os novos regulamentos.

EDICOM News Brasil | Saiba mais sobre Faturamento eletrônico

Como é a fatura eletrônica no Uruguai

Conheça o sistema de fatura eletrônica no Uruguai baseado no uso de Comprovantes Fiscais Eletrônicos (CFE).

Aspetos importantes sobre a fatura eletrônica obrigatória na Zâmbia Smart Invoice

A partir de 1º de julho de 2024 será obrigatório utilizar o sistema de e-Invoicing Smart Invoice implementado pela ZRA

A Arábia Saudita torna obrigatório o uso da fatura eletrônica: projeto FATOORAH

O projeto da fatura eletrônica na Arábia Saudita se chama FATOORAH e foi implementado no âmbito das relações B2B, B2C e B2G