Características da fatura eletrônica na Guatemala

Em fase de implantação progressiva, dependendo do tamanho e do setor da empresa. É a Superintendencia de Administración Tributaria (SAT, Superintendência de Administração Tributária) que define os segmentos de contribuintes e os prazos em que devem aderir ao regime FEL.

No momento, a SAT, por meio da resolução N.º SAT-DSI-838-2019 publicada no Diário Oficial da América Central, em setembro de 2019, devem aderir ao FEL de forma obrigatória todos os contribuintes que prestem Serviços Individuais no Geral.

Autoridade fiscal

Autoridade fiscal

SAT - Superintendencia de Administración Tributaria.

Obrigatoriedade

Obrigatoriedade

São obrigados todos aqueles que a SAT designar, considerando-se o volume de faturas emitidas, o nível de rendimentos brutos faturados, vinculação econômica, inscrição em regimes especiais ou outro critério.

Formalidades administrativas

Formalidades administrativas

O contribuinte solicita a sua adesão como emissor de fatura eletrônica no regime FEL e contrata os serviços de um Certificador. Os Certificadores devem procurar obter uma autorização junto da SAT para operar como certificador de DTE. Esta autorização deve ser renovada anualmente.

Formato da fatura

Formato da fatura

Arquivo estruturado em formato XML.

Assinatura digital

Assinatura digital

A assinatura digital será obrigatória nas faturas eletrônicas, como mecanismo de autenticidade e não repúdio das mesmas.

Controlo fiscal

Controle fiscal

O Certificador gera o número de autorização e associa-o ao documento antes de o enviar para a SAT.

Formato de impressão

Formato de impressão

Normalizado, exige a representação do CAE e a identificação do Certificador.

Armazenamento

Armazenamento

A SAT armazenará todas as faturas. Isto não exime os emissores e receptores de conservar o arquivo XML durante o prazo estabelecido no Código Tributário. Os Certificadores estão também obrigados a conservar os arquivos em formato XML dos DTE certificados e os respectivos avisos de recepção da SAT.

Precisa saber mais sobre a fatura eletrônica na Guatemala?

Entre em contato com um de nossos especialistas em faturamento eletrônico.

Informamos que os dados pessoais coletados por meio deste formulário poderão ser utilizados para contato por qualquer uma das empresas do Grupo EDICOM. Da mesma forma, você pode exercer os direitos de acesso, retificação, eliminação, oposição, limitação e portabilidade de seus dados, conforme as disposições da política de privacidade.

O nome não pode estar vazio Você deve digitar um número de telefone Selecione seu país Aceite as condições

Enviando

Por favor espere. Isso pode levar alguns segundos.

Obrigado pelo envio das informações!

Algumas perguntas frequentes sobre faturamento eletrônico na Guatemala

É necessário solicitar a sua adesão voluntária no regime e registrar-se como emissor na agência virtual tributária. Usando a opção “Habilitar-se como emissor” disponível na Agência Virtual/Fatura Eletrônica On-line (FEL, Factura Electrónica en Línea).

Não

É necessário emitir um DTE com Esquema do complemento de exportações.

É obrigatório entregar a fatura ao receptor, contudo, para a entrega do DTE, há duas opções:

  • Digital: através de meios eletrônicos.
  • Papel: quando o receptor o indicar.

Uma vez habilitado, o contribuinte terá duas opções:

  • Por meio da Agência Virtual onde a SAT funciona como certificador.
  • Por Certificadores e integradores eletrônicos (Opção para contribuintes com faturamento volumoso).

É uma nova modalidade para que os contribuintes possam emitir faturas e outros documentos tributários eletrônicos (DTE) de forma segura e com autorização on-line imediata da SAT.

É um de 10 documentos eletrônicos definidos e autorizados pela SAT que se trocam no Regime FEL.

Fatura, Letra de câmbio, Fatura especial, Fatura de pequeno contribuinte, Letra de câmbio de pequeno contribuinte, Nota de crédito, Nota de débito, Nota de pagamento, Recibo e Recibo de donativo.

Não, deve determinar qual dos 10 documentos utiliza regularmente e apenas implementar os que se aplicam à sua área de negócio.

  • O Emissor: É quem emite a fatura eletrônica ou qualquer um dos DTE.
  • O Certificador: É uma organização autorizada pela SAT para validar e certificar os DTE emitidos pelo emissor
  • O Recetor: É a pessoa ou empresa que recebe a fatura ou DTE pelo bem ou serviço adquirido.
  • SAT: A Superintendencia de Administración Tributaria (Superintendência de Administração Tributária) é a autoridade na Guatemala que verifica e recebe as faturas eletrônicas emitidas pelos emissores e recebidas pelos receptores.

A SAT concede um Certificado Digital que, com o apoio de um Certificador Autorizado ou da Agência Virtual da SAT, poderá assinar os seus documentos tributários eletrônicos.

A autorização será atribuída automaticamente a cada documento eletrônico emitido aquando da certificação, não havendo categorias pré-autorizadas.

  • Ter Agência Virtual da SAT
  • Ter os dados do NIT atualizados no RTU
  • Ter, pelo menos, um estabelecimento ativo no RTU
  • Estar registrado no IVA (Geral ou Isento) ou no regime de pequeno contribuinte
  • Ter a declaração dos seus impostos em dia

  • Se o fizer através da Agência, o serviço é gratuito.
  • Se seu faturamento for volumoso, deve contactar um certificador autorizado ou integrador, que poderá cotar de acordo com as suas necessidades enquanto emissor.

Todos os contribuintes que o desejarem, especialmente aqueles que emitem um volume elevado de faturas e para quem não é prático, pelo seu volume e pela sua atividade comercial, utilizar a Agência Virtual da SAT.

Habilitar-se como emissor de fatura eletrônica on-line e obter o certificado de assinatura digital de emissão não tem qualquer custo, é concedido pela SAT para cada emissor.

Implementação da fatura eletrônica no mundo

Os requisitos técnicos e legais para o faturamento eletrônico são diferentes em cada país. Se você deseja conhecer os detalhes e as obrigações fiscais de um determinado país, basta clicar no mapa ou escolher um país na lista a seguir.